A duração do sexo influencia ou não na qualidade? É muito falado por aí que a relação sexual deve durar muito tempo, e que o homem que consegue manter um longo período de ereção é mais viril.

No entanto, será mesmo que uma maratona sexual proporciona mais prazer do que aquela rapidinha?

A resposta para esta pergunta irá variar muito de acordo com o gosto pessoal de cada um: algumas pessoas preferem que a relação sexual seja longa, outras são mais a favor das rapidinhas.

O que não podemos negar é que o prazer pode ser vivenciado em ambas as situações.

Este assunto, de fato, é tão polêmico que acabou se tornando objeto de estudo de terapeutas sexuais dos Estados Unidos e do Canadá.

O resultado gerou uma classificação do sexo em relação à duração da penetração nas seguintes categorias:

  • “adequado”
  • “desejável”
  • “muito curto”
  • “muito longo”

Acompanhe o que os terapeutas dizem sobre cada uma das classificações e tire suas dúvidas a respeito da duração ideal da relação sexual de qualidade!

Duração adequada

Esta é a categoria que define a penetração que dura entre 3 e 7 minutos. Segundo os especialistas, neste período de tempo já é possível que ambos atinjam o orgasmo e se sintam satisfeitos.

Duração desejável

Esta é a faixa que deveria ser buscada por todos os casais para atingir a plenitude sexual. De acordo com os estudos, o ponto de equilíbrio e prazer garantido está entre 7 e 13 minutos de penetração.

Muito curto

Se o sexo com seu parceiro costuma durar apenas 1 ou 4 minutos, este é definitivamente um sinal de alerta.


QUER AUMENTAR SEU DESEJO E PRAZER SEXUAL? BAIXE O E-BOOK GRÁTIS:


PLANO DE 5 PASSOS PARA TURBINAR O DESEJO SEXUAL 

Este período é considerado muito curto: é o tempo em que os homens com ejaculação precoce atingem o orgasmo.

Neste caso, a mulher não alcança o prazer, o que prejudica não somente ela, mas também o parceiro e o relacionamento – afetivo e sexual – como um todo.

Muito longo

Se a sessão sexual ultrapassa os 15 minutos de penetração, ela já é considerada demasiadamente longa.

E, ao contrário do que muitos imaginam, isto pode ser um ponto negativo para o prazer. O sexo muito longo pode causar desconforto íntimo, fadiga e fricção extrema, tornando os órgãos sexuais muito sensíveis.

Além disso, após os 15 minutos de transa, há perda de concentração, o que dificulta o alcance do prazer pelo casal.

É importante lembrar que os períodos de tempo citados acima correspondem somente à duração da penetração, portanto as preliminares não estão incluídas!

Vale ressaltar que elas são fundamentais para uma relação sexual de qualidade, que envolva a dedicação e a entrega de ambos os parceiros.

Os estudiosos também afirmaram que a preocupação com o tempo de duração de uma relação sexual está muito relacionado a crenças, o que leva a expectativas muito altas.

Estas expectativas, por sua vez,  podem acarretar a insatisfação sexual quando não alcançadas.

Desta forma, a duração da relação sexual deve se adequar ao desejo e às características de cada casal. Se a mulher demora mais a atingir o orgasmo, por exemplo, o parceiro então deve tentar se adequar ao tempo dela, e vice-versa.

Nos casos de disfunções, como a ejaculação precoce ou a grande dificuldade de alcançar o orgasmo pela mulher, recomenda-se a procura de um médico ou terapeuta.

Percebeu como o tempo nem sempre quer dizer qualidade? O mais importante a ser aprendido de todas estas informações é deixar as preocupações de lado e se entregar na hora do sexo.

Nada de ficar com o relógio do lado cronometrando a relação, hein?

Deixe que as coisas aconteçam naturalmente e procure proporcionar prazer ao seu parceiro e a você mesma, sem se preocupar em quanto tempo o sexo vai durar.

A boa relação sexual, acima de tudo, envolve entrega e companheirismo entre os parceiros.

Gostou das informações? Tem alguma dúvida a respeito da duração da relação? Deixe seu comentário!

Compartilhe com suas amigas:


Dra. Vânia Machado
Dra. Vânia Machado

Eu sou a Drª Vania Machado, psicóloga terapeuta sexual, mestre em psicopatologia clinica e psicologia da saúde. Há mais de 20 anos venho ajudando as mulheres a recuperar seu desejo sexual e já perdi a conta de quantos casamentos foram salvos de ir por água abaixo por causa de brigas e traições que começaram com um simples problema conjugal. Atualmente ajudo mulheres de todas as idades superarem crises no relacionamento e disfunções sexuais. Precisa de ajuda profissional? clique aqui e marque uma consulta comigo.