Os homens são, geralmente, muito mais preocupados com a performance sexual do que as mulheres, confere?

Não!

Este pensamento é fruto de uma tradição social marcadamente machista que colocou o prazer da mulher em segundo plano e encheu de pudor desnecessário o imaginário feminino.

O fato é que as mulheres se preocupam sim em ter e dar prazer e, nos nossos tempos, se importam com o desempenho a ponto de adotarem certas táticas para que a transa seja uma experiência boa para um e outro.

Afinal, o sexo bom é aquele que satisfaz os dois. Não há dúvidas que a química entre o casal é o principal fator para que a performance agrade a ambos.

Porém, há certas atitudes, certas características da personalidade tanto do homem quanto da mulher, que contribuem para que sejam bons de cama.

Detalhe: Uma mulher sensual, com o corpo bem torneado e fisicamente impecável não é sinônimo de uma boa parceira sexual.

Aliás, os requisitos para que, entre quatro paredes, ela seja inesquecível, passam longe dos dotes amplamente discutidos e apreciados visualmente pela maioria dos homens.

Ser boa de cama é uma questão comportamental: a grande performance gira em torno da interação com o parceiro e da capacidade de valorizar o prazer.

Quer saber mais? Elencamos quatro atitudes essenciais das mulheres boas de cama:


QUER AUMENTAR SEU DESEJO E PRAZER SEXUAL? BAIXE O E-BOOK GRÁTIS:


PLANO DE 5 PASSOS PARA TURBINAR O DESEJO SEXUAL 

1. Não fingir orgasmo

A chave de todo bom relacionamento é a confiança: no sexo não é diferente.

Mentir para o parceiro fingindo que chegou ao orgasmo ou elogiando seus movimentos mesmo que eles não te agradem não levarão a lugar nenhum.

Assim, tanto ele quanto você estarão se distanciando das experiências que conduzem ao sexo bom.

Não se sentir compelida a dizer que chegou lá é sinal de que valoriza seu prazer, os esforços do parceiro e a sinceridade da relação de vocês.

Sem contar que, com o tempo, fingir orgasmos e satisfação leva ao desinteresse pelo sexo e pode acabar sendo fatal para o relacionamento.

Assumir uma postura sincera e aberta ao diálogo é certamente uma atitude de toda mulher boa de cama!

2. Não ter medo de inovar

Estar aberta às experiências inusitadas e diferentes é um tempero essencial para uma mulher boa de cama.

Gostar e saber explorar as potencialidades do sexo é sinal de que a pessoa está disposta a melhorar continuamente aquela relação, sem deixar que uma atividade tão prazerosa caia no automatismo.

Não tenha receios, medos e pudores de conversar com o parceiro sobre o que gostariam de testar ou fazer diferente. Vale inovar nas posições, nos acessórios e até nos locais onde praticam a transa.

Ser consciente que o sexo é um processo no qual certas coisas podem se esgotar ou se renovar é meio caminho andado para garantir uma contínua satisfação.

3. Conhecer o próprio corpo

Saber onde são seus pontos mais sensíveis e guiar o toque do parceiro por eles não é pecado algum. Aliás, é sinal de que você sabe o que está fazendo e tem consciência de que o caminho das mãos pode levar ao auge.

E essa premissa vale tanto para você quanto para ele.

Conhecendo seu corpo, você é capaz de se abrir para os mistérios do corpo dele e valorizar todos aqueles movimentos que despertam um desejo ainda maior.

Fazer um mapa mental para o prazer é uma atitude crucial no entendimento da dinâmica do sexo e nos atalhos que precisam ser percorridos para agradar ambos.

4. Gostar de sexo

Fugindo do julgamento moral comum e ultrapassado, uma mulher que gosta de sexo não é vulgar. Encher-se de preconceitos e adotar esteriótipos pré-fabricados não leva ninguém a lugar nenhum.

Pelo contrário – reconhecer sua humanidade e suas necessidades é o verdadeiro caminho para a felicidade.

Portanto, para ser boa de cama, é preciso “gostar da coisa” e estar aberta a novas possibilidades do seu ponto de vista e do ponto de vista do outro.

Saber que seu corpo existe também para dar prazer à sua existência é fazer as pazes com seu status carnal. Esta é uma atitude que poupa muito sofrimento desnecessário e que carrega um potencial enorme para a descoberta de que o sexo bom traz felicidade.

Assumir sua sexualidade não é falha de caráter, mas sim uma qualidade e um cuidado consigo mesma.

Para ser boa de cama, é preciso eliminar os medos e receios, conhecer-se e reconhecer o potencial do seu próprio corpo. Que tal empreender esta jornada?

Compartilhe com suas amigas:


Dra. Vânia Machado
Dra. Vânia Machado

Eu sou a Drª Vania Machado, psicóloga terapeuta sexual, mestre em psicopatologia clinica e psicologia da saúde. Há mais de 20 anos venho ajudando as mulheres a recuperar seu desejo sexual e já perdi a conta de quantos casamentos foram salvos de ir por água abaixo por causa de brigas e traições que começaram com um simples problema conjugal. Atualmente ajudo mulheres de todas as idades superarem crises no relacionamento e disfunções sexuais. Precisa de ajuda profissional? clique aqui e marque uma consulta comigo.